quinta-feira, 5 de março de 2015

maturidade


Maturidade

...hoje, faço anos, e estive meditando na praia com algumas pessoas.
Enquanto caminhava pela areia agradeci a Deus por tudo o que já vivi até hoje e a medida em que andava, percebi algo que me trouxe aqui.
Antes eu tinha pressa de viver, acho que todos temos esta sensação de que tem que ser agora, e de que o tempo urge, e... milhões de chavões para a nossa sede de viver, de experiementar tudo e todos.
Se eu pensar no que a idade me deu, para além dos cabelos brancos...risos..., é a capacidade de aproveitar o dia de hoje, este exato minuto onde escrevo. Finalmente já não preciso mais correr, já não penso se o tempo vai dar ou não para tudo o que quero fazer. Já não me sinto escrava do relógio biológico, ou do medo de morrer sem ter tido tempo para tudo.
Hoje percebi que o meu "tudo" é exatamento o que tenho hoje. É o meu companheiro amado que tem uma paciência comigo que por vezes nem mesmo eu tenho, são as minhas meninas que crescem todos os dias um pouco e já sinto as asas delas quererem voar, são os amigos de perto ou de longe que se fazem presente, são as pessoas que acreditam no meu trabalho e contribuem no meu caminho, são as saudades e as esperanças. O meu "tudo" hoje é ter tempo para ir correr buscar as meninas no colégio entre uma consulta e outra, é sair jantar com o meu amadinho, é poder falar com os amigos por telefone ou presencialmente... é saber que agora é a melhor hora pra viver.
Hoje não quero mais "salvar o mundo", compreendi que ele já está salvo. O que preciso salvar é a mim mesma, e se conseguir fazer isto, então tudo valeu a pena. Deus não está lá em cima dormindo, ele sabe muito bem o que se passa aqui e quais as razões. E aprendi que ou confiamos ou não confiamos, não existe meia confiança, como não existe meio amor ou meia dor. E mais uma vez o "tudo" acontece.
Quando somos adolescentes pensamos que por vezes que os adultos estão equivocados, que são desleixados, que deveriam fazer mais... agora compreendo, que fazemos muito quando calamos, quando pensamos antes de fazer, quando aceitamos tudo e todos como são e não como pensamos que deveriam ser.
Hoje, sou grata simplesmente porque estou viva, porque tenho paz no meu coração, porque de noite por vezes ouço as minhas filhas a dizerem: mãe vem cá, porque de tantos desencontros eu consegui estar atenta e aberta para encontrar uma pessoa que admiro e respeito profundamente como pessoa, marido, amigo e pai. Sei bem que parecendo tão simples é muito difícil fazer com que o casamento funcione, que a gente não se destrua enquanto pessoa mas que cresça como casal e indívíduo.
Só por hoje, agradeço as pessoas que me ajudaram chegar cá e ter finalmente esta consciência de que está tudo bem, que realmente está tudo bem.
Hoje percebo o significado da palavra Maturidade, e do sentimento de maturidade... e ainda estou no primeiro nível deste processo...risos...
É mesmo bom viver !
Que Deus guie a todos no processo de amadurecer de cada um.
Namastê,
Jaqueline Reyes


Escrito por Jaqueline Reyes às 13h38

Sem comentários:

Publicar um comentário