quinta-feira, 5 de março de 2015

Quando Aprofundar e Quando Terminar um Relacionamento - Osho


Quando Aprofundar e Quando Terminar  um Relacionamento - Osho

" O crescimento é doloroso porque você evitou mil e uma dores em sua vida."

"A profundidade do amor não tem nada a ver com uma pessoa ou duas pessoas. A profundidade do amor certamente tem a ver com que você deva permanecer sempre no amor. Isto traz profundidade. Agora, por exemplo, você ama um homem ou uma mulher. Por alguns dias, as coisas são realmente fantásticas, as coisas acontecem de uma maneira linda. E então, naturalmente, as coisas começam a ficar chatas. Não há nada de errado nisso, é apenas o próprio curso da natureza. Você se torna acostumado com a mulher, com o seu jeito; ela se torna acostumada com você, com o seu jeito, o seu estilo de vida - e quando tudo é conhecido e não há nada mais de surpreendente, como o relacionamento pode continuar fantástico? A maravilha começa a desaparecer, as coisas se acomodam, tornam-se mundanas, quotidianas, comuns. Isto é o que comumente acontece.

Agora você pode continuar a viver com o homem ou com a mulher com a idéia de que, se você mudar de homem ou de mulher, o amor jamais acontecerá profundamente. Mas o amor não irá se aprofundar de qualquer maneira, o amor está se tornando cada dia mais raso. Mais cedo ou mais tarde, você começará a achar que o outro estará sempre aí. Não haverá mais alegria na presença do outro, não ficará excitado com a presença do outro. Pode continuar se apegando...

Mas se você se apegar muito, então ninguém vai ficar com você, porque ninguém quer uma prisão, ninguém quer que você se torne um par de algemas. Quanto mais você se apega, mais o relacionamento se torna feio. Primeiro, ele perde a alegria, perde todo o charme, perde todo o magnetismo, então começa a se tornar doente, patológico.

Eu chamo um relacionamento de patológico quando você está se apegando apenas pelo propósito de se apegar, não há nada mais a que se apegar. Você está se apegando apenas porque está com medo de perder, com medo de mudar, com medo de se mover para um novo relacionamento. Porque o novo... Quem sabe o que irá acontecer? Onde irá levar? O novo é perigoso porque o novo ainda não é familiar. O velho é familiar, ajustado; existe uma certa segurança, um conforto, uma conveniência. Quando você começa a se apegar pelo propósito de se apegar, então é patológico, é feio; não irá trazer nenhuma profundeza no seu relacionamento. Toda a profundeza irá desaparecer.

Agora, não estou dizendo que, se você está com uma pessoa - com um homem ou uma mulher - e as coisas ainda estão crescendo, mude. Não estou dizendo isso. Não me entenda mal. Existem algumas poucas pessoas que são sensíveis e que continuam descobrindo alguma coisa nova todos os dias. Existem pessoas que são tão estéticas que jamais sentem que as coisas se acabam. A sensibilidade delas, a intensidade delas, a paixão delas continua trazendo novas profundezas. Então está
perfeitamente bem.

O meu critério é: se um relacionamento está crescendo com profundidade, é perfeitamente bom. Mas se não estiver crescendo, se não estiver se aprofundando, se a intimidade não estiver mais crescendo; tudo parou e você está simplesmente estagnado porque não sabe como deixar e como dizer adeus, então você está destruindo a sua capacidade de amar. É melhor mudar, trocar de parceiro, do que destruir o amor - porque o amor é o objetivo, não o parceiro. Você ama uma pessoa, não pela pessoa, você ama a pessoa pelo amor.

O amor é o objetivo. Então, se não estiver acontecendo com essa pessoa, deixe acontecer com outra pessoa, mas deixe acontecer! Permite uma continuidade. Esta continuidade, este fluxo de amor constantemente acontecendo, irá levá-lo mais profundamente nele, irá trazer profundidade, irá trazer novas dimensões, irá trazer novas realizações.

Então, lembre-se, se estiver bom com uma pessoa... e por "bom" não quero dizer o que comumente significa quando alguém diz "Eles são um bom casal" ou "Muito legal." Não quero dizer isso; essas palavras apenas ocultam fatos. Mas um relacionamento realmente bonito não é apenas legal; ele é fantástico! Nunca se acomode por menos que isso. Somente um relacionamento fantástico pode trazer profundeza. Se não estiver acontecendo, seja corajoso o suficiente para dizer adeus - sem nenhuma reclamação, sem rancor, sem raiva. O que você pode fazer? Se não estiver acontecendo, não está acontecendo."
Este texto é para pensarmos um pouco sobre o que andamos a fazer com as nossas relações.
Um dia conversava eu com o meu irmão e ele perguntou-me sobre o que fazia ou não uma relação resultar, e sem pensar muito respondi que era o fato de ambos trabalharem pela relação e estarem a caminhar para o mesmo lado. Quando um só alimenta a relação, ela  já está "morta" e pouco há para fazer.
O amor acontece ou não acontece.
Que o amor seja sempre a ponte que une.
Namastê,
 
Jaqueline Reyes
 
Sugestão de leitura sobre o tema:
Mulheres que amam demais -
Amor, Relacionamento e Solidão - Osho
 


Escrito por Jaqueline Reyes às 15h56

Sem comentários:

Publicar um comentário